Nosso Blog

Alimentação das Crianças com Síndrome de Down

Alimentação das Crianças com Síndrome de Down

A Síndrome de Down, também conhecida como Trissomia do Comossomo 21 pode levar a pessoa diagnosticada a apresentar inúmeras características especificas. Geralmente a Síndrome está associada a dificuldades de habilidade cognitiva e desenvolvimento físico. Dentre os acompanhamentos terapêuticos necessários para a Síndrome, um cuidado maior com a questão nutricional também se faz muito presente.

Os músculos de uma pessoa diagnosticada com a síndrome costumam apresentar hipotonia (diminuição do tônus muscular), esta condição pode afetar inclusive o sistema digestivo.

O intestino, por tratar-se de um músculo, possui um movimento natural chamado de “peristaltismo”, que é fundamental no processo de digestão dos alimentos. As pessoas com Síndrome de Down possuem essa força de movimento reduzida, por conta disso, o alimento fica mais tempo por ali, desta forma é mais aproveitado pelo organismo. No entanto, a Hipotonia faz com que o gasto energético destas pessoas seja menor, se levarmos em conta que os exercícios e atividades físicas são menos intensos.

Resumindo, como se gasta menos calorias e se absorve mais nutrientes, é comum que as pessoas com Síndrome de Down apresentem sobrepeso e prisão de ventre.

Deste modo, a educação alimentar é uma alternativa para que as crianças aprendam a se alimentar da maneira adequada. Uma educação alimentar adequada pode evitar problemas no futuro e tranquilizar as famílias.

A alimentação de pessoas diagnosticadas com a síndrome deve seguir os princípios de uma alimentação saudável, além disso:

– Uma dieta fracionada ao longo do dia para evitar exageros;

 – Deve-se estimular uma mastigação mais assídua e a ingestão de alimentos de uma maneira não tão apressada;

– Os pais e familiares devem proporcionar um ambiente calmo para que a criança se tranquilize.

O trabalho do fonoaudiólogo se torna assim, cada vez mais fundamental. Refeições equilibradas e planejadas de acordo com a idade, peso, estatura e exames laboratoriais são fundamentais para elevação da saúde e bem-estar da criança.

Existem também, alguns alimentos específicos que podem contribuir nessa reeducação alimentar. O melão e o abacate, por exemplo, são uma fonte rica de luteína, que ajuda na capacitação visual. A vitamina C presente nas laranjas, também pode ser uma forte aliada por ser rica em antioxidantes. A oxidação gera envelhecimento precoce, as pessoas com Síndrome de Down já possuem o processo de envelhecimento 50% maior, deste modo, alimentos antioxidantes podem retardar esse processo. Além disso, alimentos como frutas vermelhas, alga-marinha, couve-flor, berinjela, sardinha, vegetais e legumes verdes-escuros, possuem inúmeros nutrientes capazes de contribuir na dieta de crianças com Síndrome de Down.

Abrir Conversa
Entre em contato conosco!
Entre em contato conosco!