Nosso Blog

Espectro e Acompanhante Terapêutico Escolar

Espectro e Acompanhante Terapêutico Escolar

 Quando uma criança com TEA (Transtorno do Espectro Autista) é inserida na escola, se faz necessária a criação de um plano educacional individualizado para a criança.

 Os professores nas escolas ainda não estão  treinados o suficiente para lidar com o quadro de demanda que uma criança com algum transtorno possa apresentar. Diante disso se faz necessário o AT (acompanhante terapêutico) escolar que é o profissional suficientemente treinando que acompanhará a criança na rotina escolar, auxiliando a criança no processo de aprendizagem.

 Como se sabe, algumas das características de crianças diagnosticadas com TEA são: dificuldade na linguagem, comportamento  repetitivo e tendência ao isolamento. O AT Escolar da Religare Centro de Reabilitação surge como agente terapêutico para compor o quadro clinico multiprofissional aonde a clinica como órgão interprofissional não alcança o paciente. Ou seja, o AT respalda a criança para além do ambiente clínico.

 O AT auxiliará a criança nas atividades escolares, atuando na mediação da inclusão desta criança. O AT escolar também intervirá no ensino da criança, auxiliando o professor a melhorar a sua didática, de uma forma que a criança autista acompanhe e aprenda com facilidade, auxiliando também na interpretação da linguagem e sentimentos que a  criança expresse para as pessoas ao seu redor.

Terapeutas, analistas comportamentais, e outros profissionais de mesma natureza, têm se preocupado bastante com a metodologia de ensino de crianças autistas, e nas técnicas que estão sendo utilizadas para educá-los e/ou tratá-los.

 A psicologia entende que estes alunos necessitam de uma didática especial e específica para garantir uma evolução na melhoria dos seus comportamentos e desenvolvimento intelectual. Entende-se que há uma necessidade de construir um sistema de ensino que esteja qualificado para atender as dificuldades que cada criança apresenta, e que esse sistema tenha um planejamento cuidadoso. Este processo se faz necessário também para diagnosticar o grau de autismo da criança.

 Observar é fundamental. Registrar o que é observado é imprescindivelmente necessário. Esquematizar uma melhor forma de tratamento específico para tal aluno é indispensável. Acompanhar o progresso da aplicação e evolução da melhoria do aluno é totalmente determinante para entender a eficácia da metodologia utilizada. A educação precisa se adequar para garantir a inclusão de alunos autistas nas instituições e garantir suporte para isso. A inclusão é de extrema importância para essas crianças. Garante a progressividade da melhoria do tratamento. E as instituições de ensino, não somente nos primeiros passos do tratamento, têm de se manter preparadas para reintegrar alunos autistas em atividades em grupos maiores, auxiliá-los na socialização e nos processos de inclusão social. É um passo avançado e que define a eficácia dos métodos utilizados com essas crianças.

 

Abrir Conversa
Entre em contato conosco!
Entre em contato conosco!