Nosso Blog

Os caminhos da Fonoaudiologia

Os caminhos da Fonoaudiologia

Hoje, dia 09 de dezembro, celebra-se o Dia do Fonoaudiólogo, data importante para a valorização dos profissionais que atuam de forma vital em tantas vidas, promovendo o bem-estar, o cuidado e o estudo de doenças/distúrbios que afetam a linguagem humana, audição, fala e escrita.

Antes de tudo é importante esclarecer: Quem é o fonoaudiólogo e qual a origem da profissão?

De acordo com o Conselho Regional de Fonoaudiologia de São Paulo (CREFONO) o fonoaudiólogo é o profissional de saúde com graduação plena em Fonoaudiologia que atua de forma autônoma e/ou independente em setores públicos ou privados. Este profissional é responsável por promover a saúde, avaliação, prevenção, diagnóstico, orientação, habilitação e reabilitação (terapia) e aperfeiçoamento do âmbito fonoaudiológico da função auditiva periférica e central, linguagem oral e escrita, função vestibular (receptor da gravidade e aceleração em nosso corpo), voz, fluência, articulação da fala e dos sistemas miofuncional, cervical, orofacial (relativo à face e boca) e de deglutição. O profissional também é capaz de exercer atividades que envolvem pesquisa, ensino e administração.

Sua origem data, formalmente, 1900 quando a Hungria reconheceu a profissão e criou a primeira faculdade de Fonoaudiologia no mundo. Entretanto, sua história no Brasil é mais antiga (1854) quando houve a criação do Imperial Colégio (sim, em meio ao império) voltado para meninos cegos, hoje chamado de Instituo Benjamim Constant. No ano seguinte houve a criação do Colégio Nacional, destinado a deficientes auditivos. Em 1912 já haviam diversos documentos comprovando que a Fonoaudiologia já se diferenciava da “Educação Especial” como chamado na época, já que haviam pesquisas específicas relacionadas a distúrbios da voz e fala com implantação de cursos de orientação a professores. Ainda assim, foi só em 9 de Dezembro de 1981 que a profissão foi regulamentada através do Decreto da Lei nº 6.965, motivo pelo qual comemora-se o Dia do Fonoaudiólogo em todo território nacional no dia 09/12, homenageando a vitória de uma luta que se iniciou desde o início de 1970.

Agora que entendemos a função do fonoaudiólogo e sua origem, quais são suas especialidades?

Dentre as especialidades reconhecidas pelo Conselho Federal de Fonoaudiologia existem:

  • Audiologia

Normalmente é por via da audição que se adquire e estabelece a comunicação oral. Doenças durante a gestação, uso indiscriminado de medicamentos, infecções de ouvido, exposição a ruídos intensos ou outros problemas podem causar alterações auditivas, comprometendo a comunicação e a qualidade de vida do indivíduo.

  • Linguagem

Trata-se da especialidade que trabalha o âmbito da comunicação oral e escrita. O desenvolvimento desta forma de comunicação acontece da infância à vida adulta. Pessoas com problemas para se comunicar (expressar-se e compreender) podem ter dificuldades em integrar-se socialmente ou profissionalmente.

  • Motricidade Orofacial

Aqui o fonoaudiólogo reabilita ou habilita funções relacionadas à respiração, mastigação, deglutição, sucção, expressão facial e articulação da fala, melhorando a comunicação e a condição de vida do paciente.

  • Saúde Coletiva

É o campo da Fonoaudiologia que visa construir estratégias de gestão e planejamento no campo da saúde, planejando intervir nas políticas públicas e atuar na atenção à saúde, esferas de promoção, educação, prevenção e intervenção a partir do grupo diagnóstico de grupos populacionais.

  • Voz

Trata-se da identidade do indivíduo, afinal, expressa seus sentimentos e suas ideias. Ela é produzida pelas pregas vocais e quando apresentam mal funcionamento, pode apresentar rouquidão, abafamento ou soprosidade, comprometendo a vida pessoal e profissional. O fonoaudiólogo, portanto, previne, trata e avalia os problemas da voz (disfonias), cantada (disonias) e aperfeiçoa padrões vocais.

  • Disfagia

É uma alteração no ato de engolir alimentos ou saliva (deglutição). Não se trata de uma doença, mas de um sintoma que prejudica a vida do indivíduo e pode ser ocasionada por diversos fatores como trauma em região da cabeça e pescoço, demência, acidente vascular cerebral, intubação orotraqueal prolongada, câncer de cabeça e pescoço e doenças neuromusculares. O tratamento portanto deve ser composto por uma equipe multidisciplinar, envolvendo médicos, enfermeiros, nutricionistas e fonoaudiólogos. O fonoaudiólogo é o responsável apto para lidar com os distúrbios de deglutição e comunicação, sendo aquele que fará o diagnóstico e intervenção da disfagia.

  • Fonoaudiologia Educacional

A aptidão do especialista em Fonoaudiologia Educacional inclui aprofundamento em estudos específicos e atuação em situações que auxiliem o aprimoramento, promoção e prevenção de alterações dos aspectos relacionados à audição, linguagem (oral e escrita), motricidade oral, voz e características que otimizem a favoreçam o processo de ensino e aprendizagem.

  • Gerontologia

O fonoaudiólogo especialista em gerontologia é capaz, dentre suas funções, de realizar a promoção da saúde e bem-estar da pessoa idosa, prevenindo, avaliando, diagnosticando, habilitando/reabilitando dos distúrbios que podem envolver audição, fala, equilíbrio, linguagem, motricidade orofacial, voz e deglutição.

  • Fonoaudiologia Neurofuncional

Nessa especialidade o fonoaudiólogo realiza a avaliação, diagnóstico, prognóstico, habilitação, reabilitação fonoaudiológica de indivíduos com alterações neurofuncionais, atuando nas sequelas resultantes de danos ao sistema nervoso central e/ou periférico.

  • Fonoaudiologia do Trabalho

Trata-se da especialidade em que o fonoaudiólogo promoverá mudanças consecutivas na forma de organização do trabalho levando em consideração a saúde a aperfeiçoamento da comunicação humana, a implantação de programas de qualidade de vida do trabalho, o desenvolvimento de programas de prevenção ocupacional, bem como detecção e diagnóstico dos riscos fisiológicos em situações reais. Portanto, o interesse da área é possibilitar a permanência na área de trabalho sem restrição excessiva de atividade profissional, onde haja conforto sem riscos.

  • Neuropsicologia

Aqui o profissional está apto para prevenir, avaliar, tratar e gerenciar os distúrbios que afertam a comunicação humana e sua interface com o funcionamento cerebral e cognição.

  • Fluência

Trata de identificar as tipologias das disfluências típicas e atípicas para o diagnóstico e intervenção precoce dos transtornos de fluência, orientando as famílias e equipes de saúde/educação sobre tais transtornos, gerenciando os programas de reabilitação e atuando como perito ou auditor em situações nas quais esteja em questão o processo de fluência alterada ou normal.

Agora, quais as vantagens do acompanhamento fonaudiológico para pacientes com TEA?

Como vimos, a fonoaudiologia tem um papel fundamental quando se trata de comunicação humana, fala leitura e escrita. Mas no caso do autismo, tende a haver uma dificuldade específica que é a relação de contato com o outro. Entretanto, com o tratamento adequado o fonoaudiólogo promove a independência do paciente e sua autonomia através da linguagem, facilitando os processos de entendimento inter e intrapessoais. As pesquisas indicam que o primeiro passo do fonoaudiólogo no tratamento da criança autista é ter contato com a família para compreender a rotina do paciente e as queixas onde o profissional pode intervir. Logo após, é necessário estabelecer um vínculo entre o terapeuta e a criança para que o processo aconteça da forma mais natural possível. E então, após a avaliação, todas suas necessidades serão trabalhadas.

Portanto, o maior objetivo da fonoaudiologia no desenvolvimento do indivíduo com TEA é melhorar os sintomas comportamentais que envolvem linguagem e comunicação verbal/não-verbal. A intervenção precoce é de suma importância para que haja evolução de forma satisfatória no âmbito da linguagem receptiva, expressiva, gestual, oral e escrita, capacitando-o para realizar atividades, compreender e agir sobre o ambiente que o cerca.

É fundamental destacar que, de acordo com estudos recentes, é enganoso afirmar qual programa terapêutico é melhor que o outro, já que existirá uma abordagem individual para cada caso.

Nós da Religare – Centro de Reabilitação proporcionamos aos pacientes uma equipe especializada apta para avaliar e reabilitar cada criança, independente do diagnóstico ou hipótese diagnóstica. Nossa estrutura, desde as salas de fonoaudiologia à Cabine, estão preparadas para oferecer o melhor tratamento possível. Para saber mais sobre nosso tratamento fonoaudiológico basta clicar aqui, ou para entender melhor como funciona nossa Cabine de fonoaudiologia é só clicar aqui.

Em casos de dúvidas ou caso queira agendar uma visita, entre em contato conosco pelo número (11) 4319-2522. Ficaremos muito felizes em recebe-lo(a).

Bibliografia:

https://www.crefono4.org.br/institucional/historia

https://www.fonosp.org.br/fonoaudiologia

Abrir Conversa
Entre em contato conosco!
Entre em contato conosco!