Primeira Ida ao Neuropediatra, o que fazer?

Muitas famílias nos falam sobre a primeira ida ao neuropediatra, e tudo começa quando os pais/responsáveis começam a perceber comportamentos diferentes nos filhos, a escola liga as vezes para conversar sobre o desempenho e/ou como o filho age, e por aí vai. São coisas que podem acontecer e nesse momento algo é certo, é realmente hora de marcar uma consulta.

A consulta está marcada? Maravilha, vamos entender um pouco mais do que pode ser feito. É muito comum surgirem dúvidas quanto à o que falar para o médico: “Ele vai achar que sou uma péssima mãe? Será que essa pergunta é óbvia?”. São relatos que às vezes recebemos e a primeira coisa que te dizemos é: Mantenha a calma mamãe ou papai, está tudo bem. Em primeiro lugar não existe pergunta óbvia, existe apenas pergunta, e só o fato de buscar o conhecimento através de questões já torna tudo muito lindo, acredite. O(a) médico(a) é um profissional que não te julgará, pelo contrário, ele(a) fará de tudo para te ajudar. Sendo assim, antes da consulta é necessário um certo tipo de preparo, siga os seguintes passos:

  • Escreva todas as suas dúvidas. Lembre-se do que dissemos, nenhuma pergunta é “óbvia” ou “boba”. É na consulta a hora de tirar todas essas dúvidas e esclarecer tudo.
  • Faça uma lista sobre os comportamentos do seu filho que você considera fora atípico, e junto a isso, a frequência desses comportamentos e quanto tempo costumam durar.
  • Junte materiais como vídeos curtos, fotos, relatórios da escola ou de familiares quanto ao comportamento do(a) pequeno(a), para que o médico compreenda ainda mais a situação.
  • Se você desconfia que seu/sua filho(a) tenha TEA, pesquise sobre os direitos das pessoas autistas para sair do consultório com os laudos necessários para solicitar carteirinha de ônibus/metrô, isenção de rodízio de carro, entre outras inúmeras coisas que são de direito seu e da criança.

Na consulta, não tenha medo de perguntar, de pedir para que o(a) neuropediatra explica um termo ou explique de novo algo, afinal, ninguém nasce sabendo de tudo, está tudo bem perguntar. Outro fato é que não é necessário se preocupar quanto a acalmar o(a) pequeno(a) durante a consulta, já que é importante que o médico veja como é seu comportamento natural. Claro, é bom ter atenção para que ele/ela não se machuque, de resto, deixe-o(a) livre.

Além disso, é importante conversar com o médico sobre coisas mais pessoais como sua disponibilidade de tempo livre, sua situação financeira ou até mesmo como é o apoio familiar. Isso é importante para que o médico crie uma estratégia de tratamento que seja condizente com a sua realidade.

Outro ponto importante, já que acima falamos da escola, é conversar com o(a) neuropediatra quanto ao acompanhamento terapêutico na escola, para caso ele ache necessário, já fornecer o laudo para apresentar na instituição de ensino. Nós da Religare contamos não só com os melhores terapeutas para auxiliar você e sua família, como também contamos com ótimos psicopedagogos e monitores que te estarão do lado do seu filho/filha na sala de aula.

Mais uma dica super importante: Caso o médico solicite um retorno depois da primeira consulta, assim que sair do consultório, vá na papelaria mais próxima, compre um diário e uma pasta sanfonada. No diário você vai escrever um resumo do dia do(a) pequeno(a), desde o dia 1, como ela reagiu ou está reagindo após a consulta, como reagiu ou reagirá com possíveis medicações, tudo de forma resumida e objetiva, para que o médico veja o que melhorou, piorou ou manteve-se da mesma forma desde a primeira consulta. Com essas informações o(a) neuropediatra irá propor a melhor estratégia possível com base no comportamento da criança.

Já a pasta sanfonada que citamos acima vai ser utilizada para juntar as documentações e informações relacionadas ao seu filho(a), como exames, orientações de tratamento, laudos, etc. Tudo isso facilitará – e muito – toda vez que for ao pediatra, outras consultas, e por aí vai. É uma das melhores formas de informar os profissionais que irão trabalhar com a criança, ainda mais quando tudo está organizado.

Por fim, gostaríamos de te lembrar que você, papai ou mamãe, também deve estar atento quanto ao seu emocional. Receber o diagnóstico pode não ser fácil, a nova rotina pode ser cansativa e portanto pode ser uma fase difícil, então não deixe de cuidar de si, tudo bem? Nós da Religare, sabendo disso, contamos com uma equipe de psicólogos dedicados à atender todas as famílias, acolhendo e auxiliando durante todo esse processo.

Além disso, contamos com Terapia ABA, Fonoaudiologia (e cabine), Terapia Ocupacional, Psicopedagogia, Psicomotricidade, Musicoterapia, Hidroterapia e Fisioterapia. Tudo em um ambiente acolhedor e com profissionais sempre dispostos à darem o melhor de si por você e sua família! Que tal agendar uma visita? Entre em contato conosco pelo número (11) 4319-2522 e agende agora mesmo. Aguardamos vocês!

1 comment on “Primeira Ida ao Neuropediatra, o que fazer?Add yours →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *